• denuncias
  • peticionamento
  • Mediação
  • mov procedimentos
  • autenticidade de documentos
  • administracao publica
  • fraudes trabalhistas
  • liberdade sindical
  • meio ambiente
  • promocao igualdade
  • trabalho escravo
  • trabalho infantil
  • trabalho portuario
  • Notícias
  • MPT/ES e MPF/ES se reúnem com representantes do movimento dos caminhoneiros
  • DSC 7111-1x
  • WhatsApp Image 2018-10-18 at 11.59.37
  • DSC 6366x
  • MPT-na-Mdia
  • Resultado Final   Estágio
  • DSC 5633x
  • livres-e-iguais
  • DSC 4559x
  • Outubro Rosa: MPT-ES realizou seminário de prevenção e combate ao câncer
  • PTM de Cachoeiro de Itapemirim destina recursos para informatizar farmácias das Unidades Básicas de Saúde de Cachoeiro de Itapemirim
  • Ex-procuradora do MPT-ES toma posse como desembargadora do TRT da 17ª Região
  • Palestra do psicanalista, escritor e master coach, Homero Reis, dá início às ações de QVT na PRT17
  • Procuradores comemoram os 30 anos da Constituição com entrevista para rádio e publicação de artigo em jornal
  • Prêmio MPT de Jornalismo: Inscrições prorrogadas até 31 de outubro
  • MPT-ES divulga resultado definitivo do processo seletivo de estágio
  • Audiência pública debate aprendizagem em Alegre
  • Membros do MPT participam do Seminário "Justiça do Trabalho – 1 ano após a Reforma Trabalhista"
  • MPT-ES participa de entrega de nova Unidade de Saúde de Araçás
  • MPT-ES publica manual de orientação para denúncias
  • PTM de Cachoeiro apresenta campanha da ONU “Livres e Iguais” para empresas do sul do estado
  • MPT-ES destina mobiliário para casa de acolhimento do bairro Jabour
  • Assédio é tema de bate-papo na PRT17
  • Procuradora do MPT-ES participa de doação de caminhão à Revive
  • Ouvidoria do Ministério Público do Trabalho lança aplicativo
  • Solicitação de certidões negativas agora também por e-mail
  • "MPT Prática Jurídica" facilita a participação de alunos de Direito em audiências e eventos do MPT-ES

MPT/ES e MPF/ES se reúnem com representantes do movimento dos caminhoneiros

Além de colher informações sobre a paralisação, MPs alertaram os participantes sobre os limites de um movimento paredista e a ilegalidade da incitação para derrubar o regime democrático

Ministério Público Federal no Espírito Santo (MPF/ES)  e o Ministério Público do Trabalho no Espírito Santo (MPT/ES)  se reuniram na tarde desta quarta-feira, 30 de maio, com lideranças do movimento dos caminhoneiros no estado e com o Sindicato dos Transportadores Rodoviários Autônomos de Bens do ES (Sindicam). Além de colher informações sobre a paralisação, os Ministérios Públicos buscaram mediar uma saída, sem maiores traumas, para os atuais problemas enfrentados pela população por conta do movimento paredista.

Foi informado aos participantes que, nesta semana, o MPF/ES instaurou procedimento preparatório para acompanhar a paralisação dos caminhoneiros e adotar as medidas cabíveis para que sejam mantidos os serviços essenciais para a população, tais como o abastecimento de hospitais e farmácias; a realização de cirurgias eletivas e procedimentos como hemodiálise; o fornecimento de alimentação em hospitais, escolas, universidade e presídios; ou seja, a garantia dos direitos humanos em geral.

Na reunião, os MPs também alertaram as lideranças sobre os limites de um movimento paredista e da ilegalidade de incitar a derrubada do regime democrático vigente.

Criminal. Nesta semana, a Procuradoria requisitou à Polícia Federal a instauração de inquérito para apurar possíveis crimes cometidos durante o movimento, sobretudo a eventual transgressão da Lei nº 7.170/83, a Lei de Segurança Nacional. Para o MPF/ES, existem indícios da radicalização do movimento e de práticas de crimes que atentam contra a segurança nacional, cujas penas, se somadas, podem ultrapassar os 30 anos de reclusão.

Entre os crimes que estão sendo apurados está o de sabotagem (art. 15 da Lei 7.170/83). E, mesmo após concessões feitas pelo Governo Federal, o movimento não se dissipou, desviando o foco com a intenção de forçar mudança no regime político: de democracia representativa para ditadura militar, regime autocrático. Em tese, essa conduta pode se encaixar no crime do art. 17 da mesma lei.

Crédito: Assessoria de Comunicação do MPF/ES.

Imprimir

  • administracao publica
  • fraudes trabalhistas
  • meio ambiente
  • trabalho escravo
  • trabalho portuario
  • liberdade sindical
  • promocao igualdade
  • trabalho infantil
  • banner corrupcao
  • banner abnt
  • banner mptambiental
  • banner transparencia
  • banner radio
  • banner trabalholegal
  • MPT em Quadrinhos
  • banner pcdlegal
  • Portal de Direitos Coletivos